O analista junguiano como artista: um ponto de vista

O analista junguiano como artista: um ponto de vista

Rose Mary Kerr de Barros

Alma (psique) é imagem conforme Jung. Portanto,o trabalho da psicoterapia é cuidar da imagem, fazer imagem. Nosso ponto de partida é o fato de que para trabalhar com a alma, para a alma, pela alma, precisamos lançar mão de uma perspectiva artística. Artistas são fazedores de alma na medida em que transformam as imagens em obras de arte. Em qualquer linguagem artística, encontramos a alma presente. O artista, utilizando-se de sua forma de expressão, torna a alma real, palpável, visível. Existe profunda relação entre arte e ciência o que nos leva a reconhecer que o trabalho com o ponto de vista artístico não exclui a necessidade de fazer ciência na análise. Arte é uma forma de entendimento intuitivo do mundo, tanto para o artista que cria obras concretas e singulares quanto para o apreciador que se entrega a elas para penetrar-lhes o sentido. Jung compreende todo o processo psíquico como uma imagem e um imaginar. Em psicoterapia a psique pode ser cuidada da mesma forma como construímos obras de arte. Sonhos, fantasias podem ser entendidas como semelhantes a poemas. Jung pressupõe uma base poética para a psique. A abordagem do sonho, da imagem, do sintoma, da psique necessita de uma atitude artística do analista para que este possa realizar seu trabalho.

Deixe um comentário